RESULTADOS

80ª Corrida de São Silvestre

Data: 31/12/2004

Percurso: 15 km

Local: São Paulo - SP

Telefone: (11) 3170-5946

Site: www.saosilvestre.com.br

Masculino
Feminino

VEJA COM FOI

PROVA FEMININA

Assim como aconteceu no ano passado, o primeiro lugar na prova feminina na Corrida Internacional de São Silvestre é do Quênia. Lydia Cheromei, a mulher mais rápida do mundo nos 15 km em 2004, venceu nesta sexta-feira a mais tradicional corrida de rua da América Latina pela terceira vez, com o tempo de 53min01seg, repetindo as conquistas de 1999 e 2000. Em seguida chegaram as brasileiras Lucélia de Oliveira Peres, com 54min17seg, e Adriana Aparecida da Silva, com 54min20seg. Completaram o pódio a queniana Peninah Cheruto Limakori, 55min10seg, e a baiana Marily dos Santos, 55min36seg.

Apontada como favorita após a vitória na Corrida de Nijmegen, na Holanda, em novembro, quando obteve a segunda melhor marca da história nos 15km, 47min02seg, Lydia não decepcionou e manteve o Quênia no topo do pódio como em 2003, com Margareth Okayo (51min24seg). Foi a quinta vitória de uma atleta do país africano desde 1975, quando a prova feminina começou a ser disputada. O Brasil segue com quatro títulos.

Lydia assumiu a liderança exatamente na metade da prova, disparou sozinha e não deu chances às adversárias. “Foi uma prova difícil por causa do calor, mas mais fácil do que nas vezes anteriores porque consegui abrir uma boa vantagem para a segunda colocada”, disse a campeã. “Estava me sentindo muito bem, confiante, e por isso resolvi puxar o ritmo na metade da prova. A intenção era terminar abaixo de 50 minutos, mas o calor não permitiu”, completou.

A vice-campeã Lucélia de Oliveira Peres, que venceu a Volta da Pampulha no começo do mês e participou da São Silvestre pela quarta vez, explicou que tentou fazer jogo de equipe com as demais brasileiras. “Tentamos ditar o ritmo da corrida, mas a Lydia estava demais hoje. Os atletas do Brasil estão no mesmo nível dos estrangeiros e atingi o objetivo de chegar entre as cinco primeiras”, disse a bicampeã brasileira dos 10 mil metros em pista em 2001 e 2002 e que já foi vice-campeã da São Silvestrinha em 1995.

Terceira colocada, Adriana Aparecida da Silva, ex-empregada doméstica, estava radiante. “Chegar ao pódio da São Silvestre sempre foi o meu sonho, do meu técnico e dos meus pais. O calor estava muito forte, atrapalhou todas as corredoras, mas consegui atingir o meu objetivo”, disse a atleta de Cruzeiro, interior de São Paulo, quinta colocada na Volta da Pampulha deste ano.

No total, a prova feminina teve R$ 50 mil em prêmios, mesmo valor que será distribuído no masculino. A campeã Lydia Cheromei recebeu R$ 21 mil, Lucélia de Oliveira Peres levou R$ 13 mil, Adriana Aparecida da Silva, R$ 8 mil, Peninah Cheruto Limakori, R$ 5 mil e Marily dos Santos, R$ 3 mil.

As dez melhores da prova feminina foram

1ª) Lydia Cheromei (Quênia): 53min01seg
2ª) Lucélia de Oliveira Peres (Brasil - DF): 54min18seg
3ª) Adriana Aparecida da Silva (Brasil - SP): 54min20seg
4ª) Peninah Cheruto Limakori (Quênia): 55min11seg
5ª) Marily dos Santos (Brasil - BA): 55min36seg
6ª) Maria Zeferina Baldaia (Brasil - SP): 56min23seg
7ª) Rosângela Raimunda Faria (Brasil - MG): 56min27seg
8ª) Selma dos Reis (Brasil - RJ): 56min57seg
9ª) Nadir Siqueira (Brasil - MT): 57min03seg
10ª) Rosa Barbosa (Brasil - SP): 57min50seg

PROVA MASCULINA

O Quênia dominou a 80ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre. Depois do tricampeonato de Lydia Cheromei na prova feminina, seu compatriota Robert Cheruiyot repetiu a vitória de 2002 entre os homens ao completar o percurso de 15 km em 44min43seg. O segundo colocado foi o etíope naturalizado australiano Sisay Bezabeh, 45min06seg, com os quenianos Stephen Biwott (45min28seg), irmão de Cheruiyot, e Benson Barus (45min34seg) em seguida. Clodoaldo Gomes fez uma corrida de recuperação e foi o brasileiro mais bem colocado, em quinto, com 45min41seg.

“Estava muito quente e foi uma prova bastante difícil, mais do que nos últimos dois anos exatamente por causa da temperatura elevada”, resumiu Cheruiyot, campeão da Maratona de Boston no ano passado. Quarto colocado na edição passada da São Silvestre, Cheruiyot correu a primeira metade da prova no pelotão de frente até apertar o passo e deixar todo mundo para trás. “Minha tática era correr junto com o pelotão até o quilômetro 10 e então forçar o ritmo. Tracei esse plano com meu técnico e, na prova, contei com o apoio do meu irmão (Biwott)”, admitiu.

Cheruiyot também falou o que representa a dobradinha queniana na São Silvestre. “Por causa das vitórias da Lydia e minha, nossos nomes estarão nos jornais do Quênia neste sábado. A São Silvestre é uma prova de muita tradição e espero voltar a disputá-la.”

O vice-campeão Sisay Bezabeh lembrou que treinou na altitude de Paipa, na Colômbia, juntamente com o brasileiro Rômulo Wagner da Silva. “Ele me deu dicas importantes em relação ao percurso e isso me ajudou bastante”, disse.

Para Clodoaldo Gomes, a quinta colocação está de bom tamanho. “Pra mim é uma vitória. Tive uma recuperação muito boa e dedico este quinto lugar a todas as pessoas que me ajudaram, em especial a minha família”, contou o terceiro colocado na Volta da Pampulha deste ano. “O apoio dos torcedores na subida da avenida Brigadeiro Luiz Antônio foi fundamental. Eles me avisaram que eu era o melhor brasileiro e isso sem dúvida me incentivou bastante”, completou o atleta.

Natural de Ceilândia do Norte, no Distrito Federal, Clodoaldo tem 28 anos e foi campeão mundial juvenil dos 20 km em Lisboa, em 1994. O corredor ainda admitiu que não esperava chegar em quinto. “Tive uma tendinite no tendão de Aquiles do pé esquerdo e voltei a treinar só em agosto. Foi um ano muito difícil, perdi um patrocínio, e agora gostaria de dividir essa vitória com meu técnico Adauto Domingues”, disse.

Assim como a prova feminina, a disputa entre os homens distribuiu R$ 50 mil entre os cinco primeiros colocados. Robert Cheruiyot ficou com R$ 21 mil, Sisay Bezabeh com R$ 13 mil, Stephen Biwott, R$ 8 mil, Benson Barus, R$ 5 mil, e Clodoaldo Gomes embolsou R$ 3 mil.

A entrega dos troféus aos primeiros colocados tanto no feminino quanto no masculino será feita neste sábado, a partir das 10 horas, na sede da Fundação Cásper Líbero, na Avenida Paulista, 900.

Os dez melhores da prova masculina foram

1º) Robert Cheruiyot (Quênia): 44min43seg
2º) Sisay Bezabeh (Austrália): 45min06seg
3º) Stephen Biwott (Quênia): 45min28seg
4º) Benson Barus (Quênia): 45min34seg
5º) Clodoaldo Gomes (Brasil): 45min41seg
6º) Diego Colorado (Colômbia): 45min42seg
7º) Alan Wendell (Brasil): 46min20seg
8º) Jacinto Lopes (Colômbia): 46min22seg
9º) Fernando Silvo Santos (Brasil): 46min32
10º) Mathew Cheboi (Quênia): 46min37seg

A CORRIDA DO EDITOR

Nelson, o editor do site Runner Brasil, esteve presente ao evento e registrou as fotos apresentadas abaixo. Confiram !

A largada da prova feminina aconteceu às 15:15. As atletas que formaram o pelotão da elite "A" largaram em alta velocidade.
Como em todos os anos, o calor é marca registrada da prova feminina. Ao fundo vemos o termômetro da Av. Paulista registrar 31 graus.
Os organizadores divulgaram que aproximadamente 2.000 mulheres se inscreveram para o evento.
A queniana Lydia Cheromei cruzou a linha de chegada em primeiro lugar com o tempo de 53:01.
Terminada a prova feminina, Nelson foi se posicionar para a largada masculina.
Momentos antes da largada ele se encontrou com o temível "padre irlandês"...
... e o convenceu a se comportar durante a corrida.
No momento da largada, olhando de trás, só é possível ver um "mar" de faixas e atletas.
A passagem pelo pórtico aconteceu 12 minutos após o sinal de largada.
O cheiro não é nada agradável, ainda é possível ver garrafinhas contendo "líquidos" estranhos. Ééécaaaaa !!!
Após uma longa caminhada e um pouco de trote, agora é possível correr de verdade. Estamos na descida da Rua da Consolação.
Na Praça da República os atletas conseguem correr com um pouco mais de folga.
O primeiro posto de água surge com mais de 4 quilômetros de prova. Os staffs não conseguem atender a todos os atletas, uma pequena confusão é formada e muitos seguem em frente sem se hidratar.
Da Av. São João já é possível avistar os atletas no Elevado Costa e Silva, o famoso "Minhocão".
Sobre o "Minhocão", chegamos ao quinto quilômetro com o tempo de 44 minutos...
...nesse momento, o queniano Robert Cheruiyot estava vencendo a corrida com o tempo de 44:43.
Na estreita Alameda Olga os atletas voltaram a correr agrupados.
Metade da prova.... os atletas começam a demonstrar cansaço.
No início da Av. Rio Branco começamos a visualizar o velho centro de São Paulo.
Na Praça Ramos de Azevedo contornamos o histórico Teatro Municipal.
Finalmente chegamos ao início da terrível "subida" da Brigadeiro. Um posto de água estrategicamente colocado, dava ânimo aos atletas.
Quase no final da Brigadeiro, a placa de 14 Km significava que o fim estava próximo.
Esquina da Brigadeiro Luiz Antonio com Av. Paulista : a "curva da vitória" !
No retorno à Avenida Paulista, os atletas gastam as últimas energias.
Surpresa e emoção antes de cruzar a linha de chegada : a homenagem feita pelos amigos e frequentadores do Fórum Runner Brasil.
Missão cumprida : 15 km em 1 hora e 53 minutos !