RESULTADOS

8ª Maratona de Santa Catarina

Data: 20/04/2008

Percurso: 42 km

Local: Florianópolis - SC

Telefone: (48) 3271-1813

Rústica 10 Km - Classificação Geral Masculina
Rústica 10 Km - Classificação Geral Feminina
Classificação Geral Masculina
Classificação Geral Feminina

VEJA COM FOI



Numa manhã de muita chuva e frio em Florianópolis, a alagoana radicada em Salvador (BA), Marili dos Santos, 30 anos, não se intimidou e venceu a 8ª edição da Maratona de Santa Catarina com 2h36min21seg. O tempo foi melhor que o índice "A" (2h37min), estabelecido pela Confederação Brasileira de Atletismo para as atletas garantirem a vaga na Olimpíada de Pequim.

Além de vencer a competição, Marili, bateu o recorde feminino da prova catarinense, que era de Ilda Alves do Santos, feito em 2003 (2h39min21seg). Ilda chegou em segundo lugar este ano fazendo 2h42min35seg.

Marizete Moreira dos Santos, terceira colocada com 2h45min04seg, era a mais triste no pódio. Ela tinha o índice B para Pequim, mas com o feito de Marili viu suas chances de ir para China caírem por terra. Segundo o diretor geral da Maratona de Santa Catarina, Paulo Silva, as atletas com índice B só teriam suas vagas garantidas caso nenhuma atleta conseguisse alcançar o índice A. Por enquanto, Marili é a única representante brasileira na Olimpíada, de um total de três vagas para o país no naipe feminino. Mas ainda existem outras provas até final de maio para que outras maratonistas se classifiquem.

Marili era a própria expressão da felicidade após a chegada triunfal depois dos 42,1 quilômetros de prova. "Eu não esperava chegar ao índice até porque era a primeira vez que estava fazendo uma maratona, mas treinei bastante e me senti bem na prova", contou a alagoana em meio ao tiritar dos dentes e completamente ensopada pela chuva. Feliz com a possibilidade de ir a uma Olimpíada, ela mostrou cautela, dizendo que ainda precisava esperar os resultados de outras atletas que estavam correndo fora do país, mas disse que depois de alguns dias de descanso iniciaria sua preparação. "Tenho que fazer quilometragem", explicou a alagoana que ainda está se adaptando às maratonas.

Choveu durante toda a manhã na Capital Catarinense e mesmo antes da largada, na avenida Beira-Mar Norte, às 7h, muitas atletas já sentiam as dificuldades que teriam pela frente devido as condições do tempo. Uma delas, a catarinense Márcia Narloch, que estava determinada e brigar pelo índice olímpico, chegou a dizer que sentia seus músculos travados por causa do frio. Resultado disso foi que a catarinense, que já foi a três Olimpíadas, não conseguiu completar a prova e desistiu no quilômetro 27.

A Maratona de Santa Catarina é um evento da Fesporte com parceria do grupo RBS. Além da prova de 42,1km foi disputada a Rústica de 9km e a Maratoninha. Mais de 3 mil atletas participaram da 8ª edição.

Adriano Bastos vence a maratona masculina

Se na disputa feminina, a tentativa de alcançar o índice olímpico era o principal atrativo da 8ª edição da Maratona de Santa Catarina, no masculino, a expectativa estava na possibilidade de ser batido o recorde da prova, que pertencia a Élson Gracioli (RS) com 2h16min28seg (2004). E foi exatamente isso que aconteceu, após a vitória do paulista Adriano Bastos.

O corredor de 30 anos travou um duelo já nos metros finais da prova contra o queniano Eligy Kiprotich Tum e venceu com o tempo de 2h16min20seg. O africano, um estreante em maratonas, chegou em segundo lugar, com cinco segundo de diferença (2h16min25). Em terceiro, ficou o paranaense Marcos Alexandre Elias, com 2h18min10seg. Assim como Marili, que festejou muito a vitória e a conquista da vaga olímpica, Adriano Bastos também tinha motivos para comemorar. Em sua segunda maratona no ano, conquistou sua segunda vitória e de quebra fez seu melhor tempo na distância. Adriano é pentacampeão da Maratona da Disney, competição que venceu mais uma vez em janeiro de 2008.

Até a metade da prova havia um pelotão de 15 atletas se revezando nas primeiras posições. "A partir daí, um grupo de quatros corredores, entre eles o queniano, abriu uma diferença. Cheguei a desanimar, mas não desisti. Fui ganhando força e aos poucos consegui tirar esta distância e passá-los. Ficou só o queniano na minha frente e vi que ele vinha controlando a prova. Achei que ele estava guardando tudo para o sprint final, mas não foi o que aconteceu", contou Adriano.

A verdade é que apesar da fama dos quenianos de bons corredores, Eligy Tum ainda é um principiante neste tipo de prova. Em sua primeira vinda ao Brasil, o atleta de 29 anos vindo do Kapsabet, no Quênia, fazia sua estréia na distância de 42,1km. Acostumado ao calor, ele disse que sentiu um pouco a baixa temperatura, mas gostou de fazer a prova. Eligy ainda deve correr mais algumas provas no país antes de voltar para seu país em junho. E disse que, a exemplo dos compatriotas, optou pelas maratonas devido a sua idade e também em busca de prestígio neste tipo de prova.