RESULTADOS

2ª Meia Maratona da Praia Grande

Data: 27/11/2005

Percurso: 21 km

Local: Praia Grande - SP

Telefone: (13) 2102-7081

Resultado Masculino
Resultado Feminino

VEJA COM FOI

Companheiros de treino e morando na mesma casa, os “santistas” Geovane de Jesus Santos e Sirlene Souza de Pinho foram os campeões da 2ª Meia-Maratona A Tribuna-Praia Grande, realizada domingo (dia 27). A “dobradinha” dos amigos foi muito festejada pelo grande público e também pelo técnico Valmir Nunes, um dos maiores corredores de longa distância do mundo em todos os tempos.

No masculino, o corredor natural de Itabaianinha, no Sergipe, e morando em Santos há cinco anos, surpreendeu os grandes cotados e completou os 21.097 metros em 1h06min10s, depois de superar o queniano Charles Korir, o 2º colocado com 1h06min55s. “Vim para cá para ir para cima, mas não esperava ganhar. Estou muito feliz”, disse o ex-garçom de 26 anos, que começou a correr somente há cinco.

Entre as mulheres, a atleta que nasceu em Santa Luz, na Bahia, e vive em Santos há 12, venceu com tranquilidade, cruzando a linha de chegada em 1h16min24s, quase dois minutos à frente da vice-campeã, a paranaense Luzia de Souza Pinto, com 1h18min15s. “Pensei que ia ser mais difícil. Não forcei, porque tenho a Volta da Pampulha na semana que vem e vim tranquila. Foi ótimo vencer aqui, que é praticamente em casa”, ressaltou a competidora de 29 anos, número 1 do ranking brasileiro na distância e também vencedora da Meia do Rio.

No total, 1.946 atletas concluíram a prova, feita sob sol forte e com vento contra na segunda metade do percurso totalmente plano. Além disso, o evento contou com mais 244 caminhantes, com o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, sendo o primeiro a completar os 3 km. A prova foi considerada um sucesso, principalmente pela grande participação do público e pelo percurso, feito em grande parte junto à praia.

A disputa masculina começou com o queniano Charles Korir imprimindo um ritmo muito forte e com a liderança isolada até o km 12. Geovane, que entrou na prova na condição já pensando em “atacar” quem saísse forte, começou a forçar o ritmo na metade do percurso e depois seguiu sem rivais. “Saímos juntos, mas nos primeiros mil metros, fizemos para 2min54s. Achei muito forte e deixei ele ir, porque sabia que poderia quebrar. Passamos os 10 km com 29min57s e depois comecei a ir para cima”, destacou Geovane.

No investida sobre o queniano, o campeão forçou três vezes e depois seguiu abrindo vantagem e terminou esbanjando preparo físico, com uma diferença visual grande na última reta. “Cutuquei e ele não veio. Daí fui apertando. Devo muito isso ao Valmir Nunes e ao Seu Pepe (patrocinador), que me apoiaram muito. E claro, a esse povo maravilhoso”, disse o ex-garçom, que começou a correr há apenas cinco anos e já vem se consolidando como um dos principais nomes do País.

Este ano, ele também venceu a Maratona de Buenos Aires e as meias de Paraty e Itanhaém, além de garantir o 6º lugar na Maratona de São Paulo. No ano passado, em Praia Grande, foi o 26º colocado. “Cresci muito nesse tempo, porque o Valmir faz um trabalho sério. Hoje, terminei muito bem e dava para forçar mais. Em Buenos Aires, passei a meia para 1h08min. Mas só fiquei tranquilo mesmo quando faltavam 200 metros, na reta final”, acrescentou o atleta patrocinado pela Memorial.

O 2º colocado, Charles Korir, que está no Brasil há mais de um mês, gostou muito da prova e revelou ter forçado muito o ritmo no início. “O calor complicou o meu desempenho e o Geovane foi mais rápido do que eu e teve um desempenho mais eficiente nos quilômetros finais”, comentou o atleta de 25 anos, patrocinado pela Unimes, que este ano foi o vice na Meia da Bahia.

Quem também comemorou o resultado foi o mineiro Fernando Silvio dos Santos, 35 anos, o 3º colocado, com 1h07min02s. “Foi uma prova muito dura. O vento contra atrapalhou bem. Sou um atleta que vem de trás e até achei que daria para vencer, mas o campeão foi muito rápido”, disse o corredor de Guarani, o 3º melhor brasileiro na São Silvestre, chegando na 9ª posição.

Já o campeão da Maratona de São Paulo deste ano, o piauiense radicado em São Paulo, José Teles de Souza, repetiu a 4ª colocação do ano passado. “Perdi tempo no começo e fui buscando depois dos 10, mas não deu para chegar neles”, comentou.

SUPERIORIDADE DESDE O INÍCIO - Na corrida feminina, Sirlene Souza de Pinho mostrou superioridade desde o início e abriu vantagem a partir do km 3, quando deixou para trás a queniana Josephine Kimayo e a baiana Marily dos Santos. “Eu abri e fui tranquila. Até porque o meu ex-cunhado (Alexandre) e a minha filha (Beatriz) iam me informando que eu estava com boa folga. Não precisei forçar, mas se tivesse alguém correndo forte, eu iria junto”, explicou a atleta também patrocinada pela Memorial.

Aos 29 anos de idade, Sirlene vem se firmando com um dos grandes nomes do atletismo nacional e se prepara para mais duas grandes atuações, a Volta da Pampulha, no outro final de semana, e a São Silvestre, duas provas onde já foi pódio em 2003. “Agora é pensar na Pampulha e depois me preparar exclusivamente para a São Silvestre. Essa vitória foi muito importante e me deu mais ânimo. O trabalho que venho fazendo com o Valmir Nunes está fantástico e o apoio da Memorial nesses anos todos foi o que me ajudou”, destacou a corredora, que fez 14 pódios este ano, 12 deles consecutivos, sempre com a vitória ou o 2º lugar.

A 2ª colocada, Luzia Pinto, reforçou a grande fase vivida por Sirlene. “Ela está um nível acima. Não adianta ir com ela, que vai quebrar. Já esperava esse desempenho dela”, disse a corredora de 29 anos, de Maringá. Na prova, ela saiu atrás e fui buscando as posições, garantindo o 2º lugar no km 18, ao superar Marily dos Santos. “Foi bem difícil, por causa do calor. Eu vim de trás, encostei, passei e depois fui administrando”, contou a atleta, que está sem patrocínio.

Marily, mesmo sentindo dores, com uma lesão na unha do pé, garantiu a 3ª posição. “Independente da dor no dedão, foi mérito da Luzia o 2º lugar. Eu cansei e ela estava melhor”, disse Marily, que gostou muito da prova. “O percurso é sensacional. Lembrou muito a Bahia e a estrutura muito boa. Não faltou água, foi perfeito”, argumentou.

A 4ª colocada também festejou o bom desempenho. A veterana Cleuza Irineu, de 40 anos, está voltando, após mais de um ano parada por contusão. “Mostrei que ainda dou trabalho”, frisou a corredora de Londrina. Na 5ª colocação ficou a queniana Josephine Kimayo, estreante na distância. “O calor estava forte e gostei muito de correr os 21 km”, disse a atleta de 30 anos, que só corre há um ano e meio.

Resultados

Masculino
1) Geovane de Jesus Santos - 1h06min10s
2) Charles Korir - 1h06min55s
3) Fernando Silvio dos Santos - 1h07min02s
4) José Teles de Souza - 1h07min13s
5) Orlando Dias de Lima - 1h07min26s

Feminino
1) Sirlene Souza de Pinho - 1h16min24s
2) Luzia de Souza Pinto - 1h18min15s
3) Marily dos Santos - 1h18min43s
4) Cleuza Irineu - 1h19min40s
5) Josephine Kimayo - 1h20min03s